Todos os posts em “Construção de Bonecos”

Bonecos da Mata Atlântica

 

Nos dias 29, 30 e 31 de agosto, a Articulação em parceria com a Gerência de Educação Ambiental (GEAM) do INEA participou com a oficina Teatro de Bonecos da Mata Atlântica, do projeto A Mata Atlântica é Aqui – Exposição Itinerante do Cidadão Atuante, junto à Fundação SOS Mata Atlântica no Parque Municipal de Petrópolis – Itaipava.

Durante a oficina, os bonecos do Mico-Leão-Dourado, Tamanduá-Mirim, Tucano-de-Bico-Preto e Palmeira Jussara, construídos em diferentes técnicas de manipulação (marionete, vara, pantãn e objeto animado), ganharam vida nas mãos das crianças. Enquanto brincavam e produziam histórias sobre os seres, tiveram a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre algumas das espécies que vivem neste bioma e correm risco de extinção.

Resultado da promoção

???????????????????????????????

Quem conhece os Inspetores sabe que eles podem estar em qualquer lugar, a qualquer momento, inclusive nas promoções da Articulação.

Foi lançada no Facebook da Cia, uma brincadeira onde os alunos tinham que comentar o que mais gostaram na oficina que fizeram parte, sendo que a resposta com mais números de curtidas ganharia uma camisa exclusiva dos nossos experts em educação e cidadania: os Inspetores.

Confiram alguns comentários:

“O que é mais gostoso? Para ser sincero é a forma de trabalho, é a criatividade e a força que cada um faz, mas pra mim o mais gostoso mesmo é a união, a irmandade que a gente cria, a gente acaba levando pro resto da vida !!!” – Roberto Marques , aluno da Oficina de Teatro de Bonecos.

“Eu gostei de tudo mesmo! Eu ria muito, aprendia muitas coisas, era muito legal. O que eu mais gostei? Foi de ter que aprender uma coisa diferente, manipular bonecos é uma das melhores coisas que eu já fiz na minha vida! E também conhecer muitas pessoas novas, como os professores (estou morrendo de saudades de vocês), e todos os amigos que eu conheci na oficina. Aproveitei todos os dias da Oficina, não faltei nenhum dia! O Teatro de Bonecos é umas das coisas que eu vou levar para sempre!” – Jose Mateus, aluno da Oficina de Teatro de Bonecos.

O que eu mais gostei nas oficinas é que a gente aprende não só a manipular os Bonecos, mas também aprendemos a manipular nossas vidas, nosso caráter, aprendemos também a como lidar com as pessoas, as diferenças. E é claro as amizades que a gente cultiva, não só entre os alunos, mas os professores também.Esse teatro eu vou levar pra vida toda! Saudades.” – Jhonata Almeida, aluno da Oficina de Teatro de Bonecos.

“Eu fiquei mais disposto a fazer as coisas, antes do curso eu não fazia nada, ficava em casa sozinho, ai comecei a fazer o teatro. Foi a melhor coisa da minha vida e isso eu vou guardar no fuuuuuuuundo do meu coração!” – Marcelo Knowles, aluno da Oficina de        Teatro de Bonecos.

E a vencedora…

“Gostei de tudo! Desde a parte de construção, criar roteiros, impor vozes…Amadureci, cresci como pessoa e profissional. Após a oficina, fiz coral, cantei junto com o Coral Municipal no Teatro,e também uma peça infantil. A Oficina me fez ver que podemos crescer em diversas fases da vida. “Vida Longa aos Bonecos“ Jéssica Pinheiro, aluna da Oficina de Construção de Bonecos

Obrigada a todos os alunos pelo carinho, dedicação e por nos mostrar que através de vocês, alcançamos os nossos sonhos!

Dança com Bonecos

Articulação empresta seu talento para a banda passar

3O projeto social Dançar a Vida em parceria com a Escola de Dança Petite Danse trouxe para a cidade maravilhosa o encanto das letras de Chico em forma de espetáculo.

Investindo na graciosidade da música “A Banda”, a apresentação tem destaque especial com o uso de bonecos habitáveis produzidos pela Articulação – Teatro de Animação,  transformando o contexto de maneira criativa e original, sem deixar de ser fiel à obra.

O responsável pela criação do mecanismo dos bonecos habitáveis foi Michel Sousa, que buscou a leveza como conceito para a escolha dos materiais na construção dos bonecos.

Já o cenário assinado por Juliana Werneck, chama atenção pelo seu colorido, adaptando a cidade do homem que contava estrelas, da moça feia e da namorada em um ambiente que canta coisas de amor.